A Rainha da Fofoca - Meg Cabot

14:59:00 4 Comments A+ a-

Eu tinha muita vontade de ler A Rainha da Fofoca desde que conheci os livros da Meg Cabot - que, cá entre nós, não faz tanto tempo assim -, mas só pude matar a curiosidade agora, depois de muita recomendação.

Título Original: Queen of Babble
Editora: Galera
Número de Páginas: 431
Links: SkoobCultura; Book Depository


Lizzie está se formando em História da Moda, emagreceu 15 quilos e tem um namorado britânico tudo de bom - tudo por causa do sotaque e do sonho dele de se tornar professor e ensinar criancinhas carentes a ler, tem coisa mais nobre? Por isso, como viagem de formatura, ela decide passar as férias na casa dele em Londres - as coisas poderiam ser melhores?

Mas aí tudo começa a desandar: primeiro, ela descobre que, para se formar, precisa escrever uma monografia. Depois, quando chega em Londres, descobre que Andrew, seu namorado, não é nada daquilo o que ela pensou que ele fosse. E ela simplesmente não poderia voltar pra casa porque suas irmãs nunca mais a deixariam em paz.

Por sorte, sua melhor amiga, Shari, e seu namorado, Chaz, estavam num chateau na França e ela estava mais do que convidada a ir para lá; já que o lugar era alugado para casamentos e uma mão a mais para ajudar era sempre bom. Então ela pega o primeiro trem e se aventura pelo canal da Mancha desiludida e deprimida. Mas aí, quando parece que nada mais vai dar certo e que a vida dela é uma droga, Lizzie conhece Luke no trem por acaso e, além de ele parecer um anjo caído do céu, se mostrou paciente ao ouvir tudo pelo o que ela passou nessas férias - tudo, já que ela nunca mais o ia ver mesmo...


Só que Luke era o filho do dono do castelo onde seus amigos estavam hospedados, e ele estava passando as férias lá também. O que era completamente embaraçoso e um total golpe de sorte, porque quem não se apaixonaria por ele?

Ele parece alguma coisa jogada de um helicóptero: sabe como é, o cara perfeito para uma garota necessitada em uma ilha deserta. A garota seria eu, e a ilha deserta, minha vida. Tirando o fato, é claro, de ele não ser meu. p. 305

Mas, como desgraça pouca é bobagem, ela descobre logo que ele tem uma namorada linda - que calça chinelos de 600 dólares (!) - que só está afim de meter a mão no dinheiro dele. E ao passo em que Lizzie tenta não criar muita antipatia por Dominique, ela se aproxima mais ainda de Luke e tenta não abrir sua boca incrivelmente grande para não acabar com o casamento que iria acontecer alí. Tudo isso enquanto termina sua monografia.

Não, está ótimo eu ser afim de Luke. É seguro. Porque isto não vai dar em nada. Nadinha mesmo. p. 309

Sinceramente eu quase desisto desse livro. Porque, apesar de eu amar as estórias da Meg, e adorar histórias de menininha, eu não suporto personagem besta, burro e chiliquento. Me tira completamente a paciência, como aconteceu quando comecei a ler O Diário da Princesa e quando li Quase Pronta. Vou apontar alguns dos motivos pela revolta no começo do livro:

  1. Ao conhecer Lizzie, ela parece uma louca paranoica por ter sido gorda. Certo, sua autoestima sofreu com isso, mas ela agora vivia sendo elogiada, pelo amor de Deus!
  2. Que ingenuidade ela achar que o namorado não tinha reparado na sua forma física quando se conheceram! Mas, oi, ele não se importar com isso não significa que ele era cego!
  3. COMO uma pessoa vai pra faculdade com a ilusão de que não precisa escrever uma monografia pra se formar?

Fora que as coisas que Andrew faz com Lizzie quando ela chega em Londres - e o fato de ela não ter visto como ele era um babaca logo de cara - me deixaram muito abusada com o livro. Pensava: 'seu amor próprio, cadê?' e 'não disseram que esse livro era ótimo?' Só que, para minha felicidade, depois da página 115 (na qual demorei bastante a chegar!) acontece uma reviravolta total. Lizzie deixa de ser fresca e as coisas realmente ficam engraçadas. Passei da parte chata ontem, e só consegui largar o livro quando terminei.

Eu digo que, se você gosta do trabalho da Meg, e não se importa em ler 115 páginas de uma mulher chata e burra, você vai gostar sim desse livro. Sem contar que vai se apaixonar por Luke logo de cara, e vai adorar a avó dela - vovó nota 1000! E que vai dar boas risadas, como eu dei. Fica a seu critério. Eu vou continuar a ler a série - esperando desesperadamente que essa fase de chiliques tenha sido passageira.

Estudante de Engenharia de Alimentos na UFRPE, leitora nas horas vagas, viciada em coisas boas, sonha demais.

4 comentários

Write comentários
Lora Garcia
AUTHOR
13 de janeiro de 2012 14:28 delete

Adorei a sua resenha. Sempre tive vontade de ler, mas ainda não tive oportunidade de comprar. Pelo menos fiquei sabendo um pouco do livro.
Eu adoro a Meg Cabot, mas alguns dos livros dela são chatos. Avalon High, por exemplo, eu larguei no meio. Achei muito ruim. Mas, na grande maioria são bons.
Bjo grande,
Lorena.

Reply
avatar
Lariane
AUTHOR
13 de janeiro de 2012 18:36 delete

Sério que quase desistiu? Eu adorei este livro e não achei nada chata... Mas, confesso que nããão gostei tanto mesmo dela no começo.

Adorei a resenha.

Beijo,
Lariane - Leituras & Devaneios

Reply
avatar
Nayá
AUTHOR
13 de janeiro de 2012 20:43 delete

Sério mesmo, Lariane!
Acho que é o meu humor mesmo, que não anda lá muito descontraído. aushaush

Beijo!

Reply
avatar
Caline
AUTHOR
14 de janeiro de 2012 17:08 delete

Nossa, agora fiquei na duvida se devo ler ou nao. E agora? Nunca li nada da Meg, mas todo mundo sempre elogia, principalmente esse livro.

Vou pensar e decider o que fazer.

Beijos, Caline
Mundo de Papel

Reply
avatar

Olá.
Obrigada pela visita! Sinta-se a vontade para comentar, e não tenha vergonha de escrever alguma dúvida ou sugestão. Sua opinião é importante para mim!