Jane Austen: A Vampira - Michael Thomas Ford

18:17:00 1 Comments A+ a-

Oi, gente!

Já ouviram falar desse lançamento de julho da Lua de Papel? Não? Sim? Bem, quando eu vi pela primeira vez, pensei: oxe, a Jane Austen fez um livro sobre vampiros? Quando a editora me enviou o exemplar - obrigada *-* - foi que fui ver que não é um livro feito pela Jane, e sim por Michael Thomas Ford.

E aí fiquei curiosa e li a metade superior da sinopse, e, para minha surpresa, a vampira da estória é a própria Jane! Cansei de ficar agoniada por não conseguir ler esse livro logo, tinha sempre que estudar e, quando terminava, não conseguia pensar em mais nada a não ser dormir. Mas ontem eu decidi terminar o livro de uma vez - porque estava morrendo de curiosidade - e deixei pra estudar depois.


Jane Austen - A Vampira (Jane Bites Back, em inglês) conta que a autora não haveria morrido da doença que a atingiu (o que, na época, ninguém sabia qual era. Hoje acham que foi a Doença de Addison), mas sim que haveria fingido estar doente e, consequentemente, havia fingido sua própria morte para que ninguém descobrisse que ela havia se tornado uma vampira.

Michael escreve, de um jeito viciante, que a vampira existe há 233 anos e que mora em uma cidadezinha do interior dos Estados Unidos. Jane é dona de uma livraria e tem dificuldade de controlar a raiva quando as pessoas usam suas ideias e as estragam, como no livro Orgulho, Preconceito e Zumbis, por exemplo. O que a deixa com mais raiva ainda é não receber nada pelos direitos autorais quando é fonte de renda para muitas pessoas. Mas, bem, ela não pode fazer nada. Afinal, para todos os efeitos, ela está morta.

Jane tenta publicar um romance que escreveu na época de seu alge, na época em que estava apaixonada e o fez como uma prova de amor à Lorde Byron - que, em troca, tirou sua virgindade e a transformou em vampira - sem seu concentimento. Ela o havia revisado algumas vezes, mas o original estava bolando há mais de 180 anos. Ela achava que já tinha dito tudo o que havia para dizer dentro dela, e que deveria aceitar o fato de que já não era mais uma escritora.

Até que ela recebe um e-mail que muda isso. Uma editora queria publicar seu livro. Uma editora adorou seu livro. Jane volta a sentir o friozinho que dá quando o seu livro está prestes a ser publicado, e participa de todas as etapas. Ela participa de programas de TV e de debates. Ela se torna a escritora do momento.

Mas claro que nada disso acontece sem problemas. Porque ela é uma vampira e, afinal, vampiros sempre estão metidos em alguma coisa. Jane come e bebe, mas ela precisa sempre beber sangue. E não há problema em sair no sol. O problema começa quando Byron volta a ficar atrás dela, ameaçando transformar sua assistente, Lucy, e o cara de quem ela está afim - e que está afim dela, também - Walter, em vampiros.

Tudo o que Byron quer é ficar com Jane, e o cara é bem teimoso.

Para melhorar as coisas, Jane é acusada de plágio. É acusada de plagiar Charlotte Brontë, a criatura mais enjoada desse mundo. E como Jane iria provar que o original é dela se quem estava com ele era Byron? Será que era armação dele para ficar com ela? Com chantagem? E o pior é que ela tem pouco tempo para impedir que a desmoralizem no mundo literário.

Esse livro é muito bom! É viciante, é engraçado e mostra uma Jane Austen com todas as inseguranças de uma mulher que vive no século XXI. Com o diferencial que ela é do século XVIII. E é uma vampira. O livro junta os autores mais famosos da literatura inglesa e os coloca em situações bem... interessantes. Definitivamente, Jane Austen: A Vampira é uma ótima pedida.

E aí, já leram esse livro? O que acharam?

Estudante de Engenharia de Alimentos na UFRPE, leitora nas horas vagas, viciada em coisas boas, sonha demais.

1 comentários:

Write comentários
Juliana Lucca
AUTHOR
6 de setembro de 2010 13:42 delete

Vi algumas citações desse livro e ri pra caramba! Espero poder ler logo porque parece ser bem engraçado mesmo e despretensioso, bem o tipo de livro que ando precisando!

Reply
avatar

Olá.
Obrigada pela visita! Sinta-se a vontade para comentar, e não tenha vergonha de escrever alguma dúvida ou sugestão. Sua opinião é importante para mim!